29 de maio de 2011

Colégio Estadual: 50 anos de história

A Escola Estadual de Ensino Fundamental e Médio Professor Crispim Coelho, o tradicional Colégio Estadual de Cajazeiras, está completando meio século de fundação e de importante participação na vida educacional e cultural da Terra do Padre Rolim. Fundado em 1961, foi o primeiro colégio público da cidade a oferecer ensino fundamental e médio, na época 1º e 2º graus, para os filhos dos trabalhadores cajazeirenses e sertanejos.

O estabelecimento de ensino nasceu de uma luta dos estudantes e do então vice-prefeito Abdiel de Souza Rolim, que repercutiu junto às autoridades competentes. Na Assembleia Legislativa, o então deputado Acácio Braga Rolim apresentou o Projeto de Lei que foi aprovado e sancionado pelo governador Pedro Gondim. Sem sede própria para funcionar imediatamente, as atividades foram desenvolvidas, inicialmente, por três anos, na Escola Dom Moisés Coelho.

Em 1963, no governo de João Agripino, o então prefeito Francisco Matias Rolim doou o terreno e a sede foi construída, o que contribuiu ainda mais para a consolidação dessa importante escola da rede pública estadual. Em 1978, um Decreto-Lei de autoria do deputado estadual Edme Tavares denominava o Colégio Estadual de Escola Professor Crispim Coelho, homenageando o educador cajazeirense.

Passados 50 anos, o estabelecimento educacional tem uma história das mais marcantes na área do ensino e dos movimentos culturais da cidade. Os festivais de poesia, os jornais estudantis, o festival da canção, as feiras de arte e o efervescente movimento estudantil, são momentos importantes dessa história. Hoje, muitos cajazeirenses e pessoas de outras cidades que brilham no cenário político, econômico, educacional e cultural se orgulham de ter passado pelo Colégio.

Com uma área de quase 10 mil metros quadrados, o Colégio Estadual possui, hoje, 12 salas de aula amplas, biblioteca, sala de vídeo, laboratório de Ciências, laboratório de Informática, sala para os diversos setores, auditório, quadra de esportes, pátio para recreação e outras áreas para atender aos mais de 1.000 alunos e a toda a comunidade escolar. A gestão é comandada, atualmente, pela professora Nerilda Fernandes, com a participação dos professores Judimacy Ricarte e Francisco Vituriano.

Reportagem publicada no jornal Gazeta do Alto Piranhas, edição 651, página C1.

Um comentário:

Claudiomar disse...

E na placa inaugural não consta nem o nome de pai e nem de Pedro Gondim se não me engano foi no governo dele

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...